A CARREGAR

Escreva para Pesquisar

Mudar de Hábitos

Mudar de Hábitos

Avatar logo
Partilhar

Que o ser humano é extremamente complexo já todos sabemos; contudo, também o nosso dia-a-dia o é.

Nem que seja pela quantidade de decisões que temos de tomar todos os dias – desde escolher que roupa vestir num dia chuvoso de dezembro, até à complexa decisão de aceitar, ou não, uma oferta de emprego numa cidade desconhecida.

1. Afinal o que é um hábito?

Os hábitos fazem parte de cerca de 40% do nosso dia. Ou seja, passamos quase metade do tempo em “piloto automático”, tomando decisões baseadas em ideias já estabelecidas no nosso inconsciente.  Assim, um hábito é algo que fazemos “sem pensar”, de forma quase automática e frequente.

Ter consciência do desenvolvimento de hábitos menos positivos não facilita a necessidade de mudar apenas por nos fazerem mal. Podemos reconhecê-lo, mas estamos tão habituados que se torna difícil mudar, principalmente quando estes implicam a nossa rotina diária. A mudança custa, porque aquilo que toda a vida fizemos ou que temos vindo a fazer está enraizado e passou a constituir a nossa zona de conforto – que nem sempre é a que nos traz aquilo que realmente queremos, nem nos mostra aquilo que poderíamos ter caso saíssemos dela.

2. Tempo de mudar

mudar de habitos 2

Muitas vezes, podemos sentir motivação para mudar porque ouvimos ou lemos uma história de transformação que parece ter acontecido da noite para o dia. No entanto, não sabemos o caminho que a pessoa percorreu até atingir a mudança. Podemos afirmar uma coisa: a pessoa percebeu como mudar hábitos que não contribuíam para o seu crescimento pessoal e profissional.

Há duas questões importantes a considerar quando decidimos deixar um hábito danoso para trás, seja emagrecer ou parar de beber: como e porquê.

Como – é aqui que juntamos a força de vontade e outras fontes de apoio (amigos, colegas e qualquer outra pessoa que possa ter passado pelo mesmo problema com o qual lutamos) bem como todas as outras ferramentas e recursos que conseguimos encontrar (livros, planos de exercícios, terapia). Tudo isto é válido para ajudar a construir uma estrutura que ajudará a força de vontade a ter a melhor chance de sucesso.

Porquê – a pergunta que deveríamos fazer é: porque precisamos quebrar o hábito e porque o começamos? Precisamos, antes de mais, desenvolver uma noção de curiosidade em relação a ele. A sociedade rapidamente nos diz que os nossos hábitos nos irão matar e o quanto somos um fracasso por não os conseguirmos mudar, mas não aborda o motivo pelo qual fazemos o que fazemos. Precisamos aceitar que conseguimos tirar algo bom dos nossos maus hábitos, mesmo daqueles que nos matam. Há sempre aprendizagem. 

Perguntemo-nos: este hábito está a ajudar-me a levar uma vida que eu prezo e ambiciono? Será que esta rotina vai de encontro aos meus valores, ideais e objetivos? Estarei eu a atingir o meu objetivo principal – a felicidade?

Porém não se pode esperar ter uma mudança radical de hábitos da noite para o dia: só se consegue mudar 1 pequeno hábito de cada vez.

“Anónimo”

“Já era tempo de mudar, não conseguia viver mais da forma que vivia. Todo o meu tempo era dedicado à bebida e a destruir a minha vida e a vida daqueles que mais gostavam de mim. Bebia para ser feliz, mas por mais que bebesse, sentia-me infeliz e vazio. Quando me aconselharam a entrar em tratamento, resisti, tinha medo do que poderia encontrar..., mas acabei por aceitar. Hoje sinto-me grato por ter aceitado a sugestão que me foi dada que, para mim, foi a decisão mais importante da minha vida, pois através dela aprendi a viver sem álcool, adquirindo novos horizontes e uma nova forma de viver. Ao abandonar os meus hábitos antigos, ao conhecer-me e ao mudar e crescer, descobri finalmente o que é a felicidade.”

RESUMO

Os hábitos fazem parte da natureza humana. O simples ato de lavar os dentes, beber café de manhã, fazer a cama, são hábitos quase automáticos que, porém, se não os realizamos sentimo-nos estranhos, como se faltasse algo.

Contudo, existem hábitos que não são positivos para nós. Venha entender melhor os seus e descobrir como é que os consegue resolver connosco.

Tags:

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Próximo