A CARREGAR

Escreva para Pesquisar

Ansiedade: Normal ou Patológica?

Ansiedade: Normal ou Patológica?

Avatar logo
Partilhar

Todos nós temos um grau de ansiedade ou introversão e quando se manifesta normalmente é acompanhado por uma situação de mal-estar.

A ansiedade pode motivar e ajudar a manter a concentração e a capacidade de trabalho quando estamos sob pressão. Mas quando o medo, as preocupações ou o sofrimento físico começam a assumir o controlo, então podemos estar perante um problema de ansiedade.

1. O que é Ansiedade?

A ansiedade é uma experiência comum a qualquer ser humano e em muitos casos é uma resposta adaptativa e positiva para diversos acontecimentos da vida. As manifestações objetivas não são específicas e geralmente estão associadas a diversos estados emocionais, tais como o medo, a expectativa, entre outros. Nos níveis considerados normais, é um estado emocional com componentes fisiológicas e psicológicas, transversal ao ser humano e motivador de comportamentos

Consideram-se três fatores quando se faz a distinção entre ansiedade normal e ansiedade patológica: nível de ansiedade, contexto para a ansiedade e consequências negativas, ou seja: intensidade, duração, frequência e  interferência com a qual ocorrem os sintomas são informações relevantes para diagnosticar este quadro clínico.

A ansiedade torna-se patológica quando não existe um objeto específico ao qual se direciona ou quando é desproporcional à situação desencadeante. 

O conceito de ansiedade não é consensual, principalmente em contexto psicopatológico. A ansiedade pode ser generalizada ou manifestar-se em situações específicas, como nas perturbações fóbicas. Pode ser um estado pontual ou uma característica persistente da personalidade do indivíduo.

2. Sinais e Sintomas

ansiedade 11
ansiedade

A ansiedade pode surgir sob a forma de diversos sinais e sintomas que se podem dividir em quatro componentes:

    • Reações físicas:
    1. taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos)
    2. hipertensão (tensão alta)
    3. contração gástrica (sensação de nó no estômago)
    4. dificuldades respiratórias (falta de ar) 
    5. boca seca
    6. sudorese (transpiração excessiva)
    7. náuseas ou vómitos
    8. diarreia
    9. dor de cabeça
    10. acufenos (zumbidos nos ouvidos)
    11. vertigens ou tonturas
    12. dores nas costas
    13. sensação de aumento de temperatura (hipertermia ou “febre emocional”)
    14. bexiga hiperativa (distúrbio neuromuscular que provoca, várias vezes ao dia, uma vontade, instantânea e incontrolável, em urinar)
    15. psoríase (doença crónica de pele que pode provocar, por exemplo, manchas na pele)
    16. alopécia (queda de cabelo ou até as conhecidas “peladas”)
    17. perda ou aumento de apetite
    18. perda ou aumento de peso
    19. alterações no ciclo menstrual 
    20. unhas quebradiças
    21. (….)
    • Reações comportamentais: 
    1. tremores
    2. bloqueio ou paralisação
    3. estado de alerta
    4. irritabilidade
    5. tensão nos maxilares
    6. alterações do tom de voz
    7. hiperatividade motora (ex: caminhar de um lado para o outro)
    8. roer as unhas
    9. (…)
    • Reações cognitivas (alterações no modo como processa a informação):
    1. preocupação excessiva/obsessiva
    2. pensamentos intrusivos negativos
    3. dificuldades de atenção e concentração
    4. insónias (perturbações de sono, como dificuldades em adormecer ou acordar várias vezes durante a noite)
    5. alterações de memória
    6. vontade de chorar
    7. maior foco no negativo do que no positivo (pessimismo generalizado)
    8. (…)
    • Reações sociais: 
    1. dificuldades em iniciar ou manter uma conversa
    2. dificuldade em dizer “não” ou em demonstrar desacordo/desagrado
    3. preocupação excessiva com a opinião de terceiros
    4. evitamento ou tentativa de passar constantemente despercebido/a
    5. (…)

Quanto mais sintomas a pessoa apresentar, e quanto mais frequentes e intensos forem, mais severa se torna a problemática, podendo gerar complicações graves, tanto a nível físico como psicológico.

RESUMO

Existe um estado de alerta constante, um aumento da vigilância, exploração do ambiente, resposta aumentada a estímulos (sustos), perturbações de sono (não devida à inquietação ou à preocupação), frequência cardíaca alterada, hiperventilação respiratória, tremores, dor (sem causa conhecida).

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a ansiedade corresponde a um dos principais problemas de saúde mental a nível mundial. Praticamente todos nós já experienciámos ou iremos experienciar ansiedade. Trata-se de uma problemática comum, mas à qual devemos atribuir especial atenção.

Não ignore este problema, mesmo que não seja diretamente consigo. Conte sempre connosco.

Tags:

Você também poderá gostar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *