A CARREGAR

Escreva para Pesquisar

Causas para consumo de drogas

Partilhar

Podendo ser classificadas como depressoras, estimulantes e alucinógenas ou perturbadoras, drogas são substâncias passíveis de causar dependência. Se algumas podem ser consumidas sob algum controlo, outras são mais tóxicas e por isso mais propensas a exercer um efeito de adição sob quem as ingere. Assim, é importante perceber que tipo de drogas existem mas, acima de tudo, quais poderão ser algumas das causas impulsionadoras do consumo excessivo.

Neste artigo, a Clínica VillaRamadas procura dar nota de alguns factores que poderão manter debaixo de olho caso considerem ter alguém próximo na iminência de estar a criar uma adição por consumo de drogas.

Causas para o consumo de drogas

Actualmente existem três tipos de consumo de drogas identificados: consumo experimental, recreativo e dependência. Os dois primeiros, como os nomes indicam, são situações pontuais, em parte por curiosidade, outras vezes por sensação de diversão no momento imediato.

Consumo Álcool
O álcool também é considerado uma substância aditiva. O álcool é uma droga que embora legalizada e assim mais aceite pela sociedade, cria a mesma dependência do que as drogas ilegais. © Vinicius "amnx" Amano / Unsplash

O consumo de dependência é o mais preocupante pois implica necessidade, devido à frequência com que este começa a ser feito, e porque leva ao sofrimento e perda do controlo da situação. Ainda que a adição de drogas seja uma doença crónica tratável, há que ter em conta alguns factores indicados como possíveis causas para o consumo de drogas. São eles:

  • Curiosidade – a curiosidade pontual pode levar ao consumo recreativo que, por sua vez, se torna sistema e por isso uma adição;
  • Sentimento de necessidade de alteração do estado de espírito para “fugir” à realidade;
  • Sistema familiar e qualidade das relações e interacções, nomeadamente os ambientes instáveis e destrutivos;
  • Perturbações mentais – a pré-existência de outros transtornos, como ansiedade ou depressão, é um factor para um eventual maior consumo de drogas;
  • Pressão de grupo para se encaixar numa perspectiva social (situação mais frequente nos grupos etários mais jovens);
Consumo Drogas
Em idades mais jovens, as companhias podem ditar a entrada no mundo das drogas e, consequentemente, o uso constanto e excessivo de substâncias aditivas © Mikail Duran/Unsplash
  • Exclusão social ou situação de marginalidade;
  • Dependência psicológica – quando a pessoa apenas se sente bem após tomar drogas;
  • Dependência física – acontece quando o consumo de drogas é frequente, levando a que a suspensão crie síndome de abstinência (ressaca) e por isso potencie o consumo contínuo;
  • Propriedades das substâncias – algumas substâncias têm um efeito mais rápido e intenso no organismo pelo que são factor determinante para o consumo excessivo;
  • Facilidade de acesso às substâncias viciantes;
  • Predisposição genética – segundo alguns estudos o facto de se ter familiares com uma adição do género pode potenciar o risco de desenvolver um consumo excessivo

Se perceber que alguém perto de si enfrenta vários destes factores, e que fomenta situações de isolamento e consumo de substâncias, ajude-o (a). Na Clínica VillaRamadas temos profissionais disponíveis para ajudar no combate à adição, e também para o ajudar a entender melhor este problema de saúde. Fale connosco.

Do consumo recreativo à adição

Drogas Comprimidos

Não existe um número que possa definir o momento em que o consumo de uma substância passa a ser de uso recreativo para consumo excessivo e de dependência A ténue linha de consumo ocasional para adição varia sempre de pessoa para pessoa. Existem pessoas que tem uma predisposição para comportamentos obsessivos e compulsivos.

Apesar de tudo, é consensual afirmar que a adição a substâncias é uma realidade quando existe um consumo excessivo que cria situações de perigo para o próprio indivíduo. Desse modo, deixamos aqui os sinais que indicam a mudança de paradigma, e que transformam o consumo num caso de adição.

  • Perda de controlo sobre o volume de consumo da substância
    • Pensamento constante sobre consumir ou como arranjar as drogas
    • Tentativas de abstinência sem sucesso e recaídas sucessivas
  • Negação, por parte do adito, da gravidade do problema quando confrontado com a situação
  • Incapacidade de cumprir responsabilidaes sociais, seja a nível pessoal ou profissional
  • Isolamento social

Consequências do consumo de drogas

Consumo Drogas

Tornando-se uma adição grave em muitos casos, a compulsão por drogas ou outras substâncias tóxicas leva a que a vida dos adictos seja impactada em diferentes áreas. O preço a pagar, sempre elevado em qualquer caso de adição, pode ser apenas de uma área da vida ou de várias. Das consequências mais visíveis destacamos:

  • Doenças físicas – mau funcionamento dos órgãos, desde o coração ao fígado e, claro, o cérebro;
  • Doenças psicológicas – a maior parte das substâncias afectam o cérebro, destruindo neurónios e diminuindo a capacidade para realização de tarefas diárias;
  • Desenvolvimento de transtornos como ansiedade ou depressão;
  • Isolamento da família e da sociedade.

Como lidar com o consumo de drogas

Sendo o consumo de drogas impulsionador de comportamentos de adição prolongada, este deve ser encarado com atenção uma vez que pode levar ao desenvolvimento de doença crónica (adição).

Assim, a melhor forma de lidar com o consumo excessivo de drogas é procura de tratamento adequado. Para que o tratamento se revele eficiente, e possa realmente ajudar o adicto a recuperar uma vida saudável e equilibrada, é necessária vontade do próprio para iniciar o tratamento. O apoio do seu núcleo mais próximo pode igualmente ajudar no processo de recuperação.

Apoio Tratamento

O tratamento ao consumo excessivo de drogas deve ser feito junto de uma equipa médica especializada, multidisciplinar, e que articule áreas como psiquiatria, psicologia, terapia ocupacional e serviços sociais. Em termos de tipos de tratamento estes variam em função do grau de desenvolvimento da adição; a maioria dos tratamentos realiza-se em regime de internamentos mas por vezes, é possível o apoio profissional em consultas quando uma adição é identificada numa fase inicial.

Na Clínica VillaRamadas existem profissionais especializados no tratamento de vários tipos de adição de drogas, desde o álcool às drogas alucinógenas ou perturbadoras. Contacte-nos para saber mais sobre os nossos tratamentos e como poderemos ajudá-lo(a) ou ao seu ente querido/amigo(a). Pedir ajuda é apenas o primeiro passo na recuperação.

Tags:

Você também poderá gostar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Próximo