A CARREGAR

Escreva para Pesquisar

Dependência dos Smartphones

Partilhar

O Dr. Eduardo Ramadas, Diretor Clínico de VillaRamadas, como orador especialista, abordou a dependência dos smartphones por crianças e jovens, no evento YOUNGMOB Multiplier Event. Neste mesmo evento, aprofundou também estratégias para promover o bom uso dos smartphones.

O evento YOUNGMOB Multiplier Event intitulado: “Comportamento dos Jovens no uso do Smartphone – Projeto YoungMob”, foi organizado pelo Centro de Investigação Aplicada em Gestão e Economia (CARME) do Politécnico de Leiria, e teve a duração de 02 horas, em regime online, no dia 23 de março de 2022.

O seminário em causa dirigiu-se a pais/educadores, professores e outros públicos que trabalham com crianças e jovens.

YoungMob

1. DEPENDÊNCIA DOS SMARTPHONES OU DEPENDÊNCIA DA INTERNET?

Tendo em conta que os smartphones são utilizado para acedermos à internet, provavelmente os jovens não estariam dependentes dos Smartphones caso estes não lhe permitissem aceder à internet.

2. QUAL O TEMPO RECOMENDADO DE EXPOSIÇÃO DOS SMARTPHONES?

smartphones4 scaled
smartphones5 scaled

A Organização Mundial de Saúde (OMS), não recomenda que crianças com menos de 1 ano de idade sejam expostas a ecrãs (televisão, tablet, computadores, telemóveis ou outros). Por sua vez, para crianças com idades entre os 2 e os 4 anos, o tempo de exposição a ecrãs não deve ser superior a 1 hora. Quanto menos tempo, melhor!

Os adolescentes e os adultos devem apenas ser expostos a qualquer ecrã durante duas horas no máximo.

3. QUE CONSEQUÊNCIAS PODEM ADVIR DO MAU USO DOS SMARTPHONES?

Quando as crianças e adolescentes ficam muito tempo em frente a ecrãs, sejam eles smartphones, computadores, televisões, entre outros, podem desenvolver maus hábitos de sono, ter menos energia, estarem menos focados na escola e ficam mais propensos a ter sintomas de depressão e ansiedade. Em suma, eles são menos saudáveis e menos felizes.

Outras consequências:

  • perda de relacionamentos interpessoais;
  • aumento de emoções negativas (e.g. ansiedade, tristeza, irritabilidade);
  • Propensão para desenvolverem perturbações de ansiedade;
  • Propensão para desenvolverem depressão;
  • Pode também levar à obesidade, pela diminuição drástica do exercício e de atividades ao ar livre.

4. COMO REDUZIR O USO DOS SMARTPHONES NAS CRIANÇAS E JOVENS?

  • Definir metas para reduzir o tempo de ecrãs;
  • Envolva-se com os seus filhos depois da escola – Passe algum tempo a fazer outras atividades (por exemplo, atividades ao ar livre);
  • Incentive os seus filhos a experimentarem atividades com os amigos;
  • Defina limites de tempo para o uso de ecrãs;
  • Não permita o uso de ecrãs durante determinados períodos de tempo (por exemplo, durante as refeições e após uma determinada hora);
  • Delimite zonas em casa sem ecrãs. Por exemplo, na zona de refeições não permita o uso de smartphones;
  • Sugira que um dia por semana não sejam utilizados ecrãs em casa – dia sem smartphones, televisão, computadores, etc. – Por exemplo, ao Domingo;
  • Incentive os seus filhos a desativarem as notificações em determinados dias (por exemplo, aos Domingos) e a partir de determinadas horas (por exemplo, todos os dias a partir das 20h00 sem notificações);
  • Muito importante – dê o exemplo aos seus filhos. De que vale impor limites se não der o exemplo? Se estabelecer regras e limites para não utilizarem ecrãs, mas depois continuar a utilizar o seu smartphone ou computador, não conseguirá com que os seus filhos o façam!

RESUMO

É fundamental e necessário que se imponham algumas limitações e regras às crianças e jovens, que como sabemos, hoje têm contacto com os ecrãs desde muito cedo. Infelizmente, a diferença entre a recomendação e a realidade pode trazer consequências prejudiciais.

Tags:

Você também poderá gostar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *