A CARREGAR

Escreva para Pesquisar

Vício do Jogo: os sintomas e como tratar

Vício do Jogo: os sintomas e como tratar

Partilhar

Como outros tipos de dependência, o vício do jogo é uma realidade quando a prática constante do mesmo leva a consequências prejudiciais na vida de uma pessoa. Existindo vários tipos de dependência do jogo , estes são casos de adição comportamental; não havendo susbtâncias envolvidas, não deixa por isso de ser grave e alvo de preocupação.

Sendo uma doença que pode levar ao sofrimento da pessoa e dos que o rodeiam, pelas consequências sociais e psicológicas, neste artigo vamos procurar desmitificar o que é, como é que se detecta e como é que pode ser abordado de um ponto de vista terapêutico.

O que e vicio do jogo cleyton ewerton unsplash

1. Como é que se fica viciado no jogo?

Não sendo um transtorno causado por substância, o vício do jogo está muito mais relacionado com factores mentais. Assim, há que ter em conta que para este tipo de transtorno podem existir alguns factores individuais impulsionadores, mas também estruturais. Passamos a explicar a diferença entre os dois.

Vício do Jogo

Factores Individuais – neste grupo engloba-se todas as características da pessoa, e do ambiente em que vive. Alguns investigadores referem uma predisposição genética para a adição ao jogo mas neste campo também entram factores como idade, género e traços de personalidade. Estas, aliada aos factores ambientais como famílias disfuncionais, o nivel socioeconómico e contexto social, poderão ser facilmente impulsionadoras da adição ao jogo.

Factores Estruturais – são todos os factores inerentes ao funcionamento do jogo que dão espaço à criação de rotinas que conduzam à adição. Se o jogo em questão for acessível, a própria diversidade de tipo de jogos e a facilidade com que o jogador pode efectuar pagamentos são factores decisivos na criação de um hábito que pode evoluir para adição.

Jogos

Neste caso, podemos dizer que o vício do jogo não advém de uma única questão, estando por isso sujeito à combinação de vários factores e que podem variar de pessoa para pessoa.

2. Quais os sintomas de vício em jogos?

Apesar de não envolver qualquer substância nociva ao corpo, o vício do jogo pode ser igualmente grave em comparação a outros transtornos de carácter mental. Com relativa predisposição para ser invisível a muitos, o vício no jogo tem sido amplificado pela possibilidade de agora ser online.

Assim, aqui na VillaRamadas queremos ajudá-lo antes de mais nada a perceber quais os sinais a manter debaixo de olho de modo a perceber se tem (ou um familiar/amigo) realmente uma adição ao jogo.

Frustação Vício Jogo

Existem vários comportamentos que são indicadores de que uma adição ao jogo pode ser real.

  • Perda de controlo no comportamento perante o jogo
    • Maioria do tempo a jogar
    • Estar sempre a pensar quando é o próximo jogo
    • Justificar o jogo como forma de recuperar o perdido antes
  • Não cumprimento de responsabilidades sociais (familiares e profissionais) em detrimento do tempo de jogo
  • Ocultação da actividade aos outros de uma forma constante
  • Abandono de hobbies de forma gradual
  • Isolamento social
  • Alterações de humor, nomeadamente irritabilidade e inquietação por não jogar

Se acredita que tem uma adição ao jogo, ou se tem algum familiar/amigo que precise de ajuda, contacte um profissional da Clínica VillaRamadas para que possa ser feito um diagnóstico aprofundado e exaustivo adequado ao seu problema.

3. Problemas com o jogo leva a outras dependências?

A adição ao jogo, seja ele online ou offline, não é indicativo de novas dependências directas. Não sendo um factor de risco que determine o aparecimento de outras adições, este pode ser no entanto percussor de outros comportamentos de riscos.

Adicao Jogo aidan howe unsplash

Conforme os sintomas de adição mencionados acima, o vício do jogo pode sim criar outras situações de carácter mais psicológico e social, essas sim passíveis de serem também alvo de preocupação e tratamento posterior.

Com risco acrescido de isolamento e perda de valores em termos de prioridades na vida, a adição ao jogo leva a situações de ansiedade, eventuais crises de depressão, crises de stress e questões psicológicas e de interacção humana. Nalguns casos, poderá levar o adicto a dependências de substâncias, como o álcool.

4. O jogo patológico pode ser tratado?

Sim. Uma adição é uma doença crónica e por isso pode (e deve) ser tratado. Não existe uma cura mas sabemos que o tratamento adequado permite ao adicto recuperar hábitos saudáveis e equilibrados nas várias vertentes psicológicas e sociais.

GrupoSuporte hannah busing unsplash

Para que o tratamento seja eficaz é preciso motivação que, aliada a uma equipa multidisciplinar, irá abrir portas para a recuperação e gradual decréscimo do sentimento de adição. Sempre que necessário, e possível, apela-se para que a família e o círculo mais próximo façam parte do processo e ajudem a criar novas rotinas.

Na Clínica VillaRamadas temos profissionais especializados no tratamento da adição de jogo. Consulte-nos para obter mais informações sobre os nossos tratamentos e tipos de terapêutica aplicada.

5. Como é que se larga o vício do jogo?

Acima de tudo, motivação. Sem motivação o tratamento ao vício do jogo não se revela eficaz, sendo por isso um trabalho que começa no interior de cada adicto. Posteriormente, o apoio de uma equipa multidisciplinar e de um núcleo de confiança irão permitir que exista uma recuperação.

Através de apoio médico e psicológico, parte do sucesso para o tratamento do vício do jogo passa também por novas actividades ocupacionais. Mostrar que o jogo não é a prioridade, e que novas actividades podem ocupar a mente é uma das melhores formas de ultrapassar este tipo de adição.

Terapia pexels cottonbro

6. Como detectar sintomas de recaída

Sendo uma doença crónica, o vício do jogo é apenas tratável, e não curável. Assim, é importante que mesmo depois de uma recuperação de sucesso numa primeira fase exista um outro controlo sobre as acções diárias e eventuais sinais de que a realidade possa mudar.

Assim, tratando-se de todo um processo, podemos dizer que o processo de recaída não é um evento único mas uma série de eventos que levam a uma alteração comportamental. Na maior parte dos casos, são os factores mentais e psicológicos que potenciam a mudança de comportamento.

Quando confrontado com mau sono, crises de stress ou ansiedade, o adicto vê-se numa situação de mudança de hábitos que poderá levar a novas situações de isolamento e troca de prioridades. É portanto imperativo que se mantenha um certo controlo do estado emocional de quem recupera para que não haja regresso à adição activa. E não esquecer que regressar às mesmas rotinas e companhias na recuperação é de evitar, já que pode ser também potenciador de recaída.

Conte connosco, porque temos a certeza e experiência em como ajudá-lo a si ou ao seu ente querido.

Tags:

Você também poderá gostar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Artigos Relacionados

Próximo